O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Miracema, realizou, no último dia 12, uma força-tarefa com o objetivo de evitar o agravamento do assoreamento do córrego Correntinho, considerado o terceiro melhor em qualidade no Estado e responsável por abastecer toda a comunidade local. O trabalho foi motivado após denúncias de irregularidades e reuniu técnicos do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e Urbanismo (Caoma) do MPE, do Naturatins, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e da Polícia Militar Ambiental.

De acordo com a Promotora de Justiça Sterlane de Castro Ferreira, que coordenou as ações, o córrego está secando devido às consequências da ação humana. Pelo menos 35 chácaras são banhadas pelo córrego e seus proprietários estariam represando a água e desrespeitando a Área de Proteção Permanente ao construírem nas proximidades das margens.

Das 27 chácaras visitadas na força-tarefa, 22 foram autuadas pelos órgãos ambientais e receberam prazo para regularizar a situação. A Promotora de Justiça Sterlane de Castro considerou a ação salutar e destacou o trabalho conjunto dos órgãos, em especial do Caoma. “Encontramos muitas construções, obras para exploração comercial e até banheiros situados próximo ao leito do córregos. Foi um trabalho benéfico, porque também orientamos as pessoas sobre os problemas encontrados e as consequências do assoreamento”, declarou a Promotora de Justiça.

Fonte: ASCOM MPE-TO (Denise Soares)
Imagem: Divulgação

Quer melhorar sua produtividade?